top of page

Conhecendo algumas matérias-primas encontradas nos cosméticos naturais.

Atualizado: 16 de jul. de 2021


Como vimos no nosso post sobre cosméticos, os cosméticos naturais são produzidos a partir de ingredientes que não causam malefícios ao nosso organismo. Abaixo, vamos conhecer algumas matérias-primas que são muito utilizadas em cosméticos naturais e algumas de suas propriedades.


As argilas e seus tipos


O uso de cosméticos que possuem argila em suas formulações pode parecer uma novidade, mas não é bem assim. As argilas vêm sendo utilizadas para tratamento de beleza, desde a antiguidade. As máscaras de argila foram utilizadas pelos gregos e egípcios para o propósito de cuidados com a pele.


O tratamento da pele utilizando argilas é chamado de geoterapia. A geoterapia é uma terapêutica alternativa que vem ganhando cada vez mais espaço pela possibilidade de tratar a pele com um elemento 100% natural.


As argilas se originam da terra e possuem diversos elementos, como alumínio, ferro e magnésio. Podendo ser utilizadas para o tratamento da pele e dos cabelos.


As argilas são diversas e cada uma delas têm um papel terapêutico específico. Sendo utilizadas no tratamento de várias condições, como, contusões, inflamações, lesões superficiais, ferimentos, lesões musculares, entre outros.


As argilas possuem as seguintes ações: analgésica, antisséptica, desintoxicante, mineralizante, anti-inflamatória, entre outras. Elas são uma ótima opção para máscaras faciais e para aplicação local.


Abaixo, vamos conhecer as argilas de cada cor e descobrir as indicações de cada uma delas:


  • Vermelha: é rica em óxido de ferro e cobre. Esse tipo de argila é indicado para a redução de pesos e medidas.

  • Verde: possui ações antioxidantes, tonificantes, adstringentes e estimulantes. Por ser uma reguladora da produção sebácea, é ótima para o tratamento da pele do corpo e rosto. É indicada para peles normais e oleosas.

  • Roxa: por ser rica em magnésio, possui o poder de absorver toxinas, impurezas e gorduras da pele. Indica-se o seu uso para regiões onde há maior acumulação de toxinas.

  • Branca: possui propriedades clareadoras, suavizantes e cicatrizantes. Possui um PH semelhante ao da pele.

  • Amarela: é indicada para o tratamento de peles maduras e cansadas, por possuir elementos que auxiliam na formação do colágeno da pele. A argila amarela tem o poder de melhorar a circulação sanguínea, reduzir as inflamações e de auxiliar no combate da flacidez.

  • Argila preta: é o mais nobre entre os outros tipos de argila. É ótima para o rejuvenescimento da pele. Tem o poder de melhorar a circulação sanguínea periférica auxiliando na renovação celular.



O Gel de Aloe Vera


A Aloe vera, também conhecida como babosa, é uma planta que vem sendo utilizada como um fitoterápico há muito tempo em razão de suas propriedades cicatrizantes e antiinflamatórias. Entretanto, hoje em dia está cada vez mais presente nos cosméticos naturais.


Essa planta é a matéria-prima principal de diversos cosméticos, devido aos seus benefícios terapêuticos, proporcionando refrescância, acalmando e tratando a pele. Por isso é largamente utilizada no tratamento da acne e da herpes.


De suas folhas é extraído o gel de aloe vera. Incolor e bastante viscoso, o gel de aloe vera é muito rico em diversos elementos, entre eles estão as vitaminas A,B,C e E potássio, magnésio, zinco e cálcio, assim como aminoácidos, enzimas e carboidratos.


O gel de aloe vera é largamente utilizado na indústria cosmética, farmacêutica e também na alimentícia. Possui ação anti-inflamatória, antimicrobiana, imunomodulatória e cicatrizante, auxiliando no tratamento da psoríase, dermatite, mucosite, queimaduras, entre outras complicações.

Nos cosméticos o gel de aloe vera é largamente utilizado devido à sua reconhecida ação hidratante.


Os óleos vegetais


Assim como as argilas, os óleos vegetais vêm sendo utilizados desde a antiguidade, principalmente em países asiáticos e africanos. Nesses territórios, os antigos já utilizavam os óleos vegetais nos cuidados com a pele e cabelos.


Os óleos vegetais são constituídos especialmente por glicerídeos e ácidos graxos de espécies vegetais e podem ser extraídos de várias partes das plantas, como as sementes, polpa e caule. Atualmente percebe-se uma grande tendência na utilização dos óleos vegetais em cosméticos devido ao seu poder antioxidante e por conterem substâncias bioativas.


Os óleos vegetais são uma alternativa ao óleo mineral, um derivado do petróleo que é prejudicial ao nosso organismo. Existem muitos óleos vegetais poderosos que são oriundos de nossa biodiversidade, como os óleos de andiroba, copaíba, e ucuuba.


E, aí? Gostaram de saber um pouco mais sobre essas matérias-primas nobres? Lembre-se de consultar um profissional qualificado para lhe orientar sobre qual a melhor forma de usufruir dos benefícios desses ingredientes.


Até o nosso próximo post^^.




Fontes:

https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/11941



17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page